terça-feira, 25 de março de 2014

Triatlo de Alpiarça | 23 de Março de 2014 | Balanço

De regresso aos triatlos, no passado domingo, 23 de Março de 2014, completei o Triatlo Sprint de Alpiarça - Campeonato Nacional de Clubes.

Num dia com boas condições para a prática da modalidade, estiveram a disputar as várias provas, mais de 550 triatletas de diferentes idades e níveis competitivos e para os aplaudir e incentivar ao longo dos percursos dos três segmentos de cada prova, esteve presente uma multidão de espectadores, o que atesta na perfeição a vitalidade que a modalidade atravessa, a qual se poderá associar a qualidade organizativa do evento.

No que diz respeito a resultados desportivos, na prova principal e após 750 metros a nadar, 20 quilómetros a pedalar e 5000 metros a correr a pé, individualmente, em termos absolutos, venceu João Pereira do S.L.Benfica, e na prova feminina venceu Ana Filipa Santos do C.D. Águias de Alpiarça. 

Quanto ao meu desempenho, numa prova tão curta e com um défice tão elevado no segmento inicial, as minhas hipóteses de uma classificação final absoluta e no escalão de Veteranos 1 eram - e confirmaram-se na prática -, muito limitadas. Apesar de ter realizado o meu melhor tempo de sempre em 750 metros a nadar na prova de Alpiarça, o volume semanal de 6000 metros, embora bem direccionado e rentabilizado, é manifestamente insuficiente para ser mais competitivo, especialmente no meu escalão etário. O tempo perdido na água, é praticamente irrecuperável durante o segmento de ciclismo realizado a solo e a corrida final, depois de tanto tempo a esforçar-me para minimizar o prejuízo inicial, pouco ou nada irá decidir, no meu caso, em termos de pódio nos V 1. Porém, num escalão tão competitivo e com tantos participantes como aquele em que me insiro - não faz sentido comparar-me com os mais jovens -, a classificação final absoluta em V1, acaba por ser muito positiva.

E quanto ao futuro, o panorama não me parece mais animador. Pois, o tempo para treinar é muito limitado, as poucas horas de sono (intercalado) não permitem recuperar devidamente e a participação em competições está muito condicionada pelo atual contexto familiar e financeiro. 

Nesta encruzilhada desportiva a conclusão é: se desistir não é hipótese, fazer melhor apresenta condicionalismos, resta-me então adaptar-me e manter o nível de prática atual, até surgir (?) um outro contexto um pouco mais favorável. 


Resumo da prova:

1. Natação (750 metros): 0:12:45, 1'42"/100m;
2. Ciclismo (20 kms), 0:32:31, 36.9km/h;
3. Corrida (5 kms): 0:18:17, 3'39"/km;
4. Tempo final: 1:05:41;
5. Classificação final absoluta: 82º lugar absoluto (342 triatletas na linha de meta);
6. Classificação no escalão: 5º Veterano 1
em 54 participantes.
7. Classificação coletiva: 14ª equipa em 38 equipas pontuadas.
O OSC/IPA esteve presente com 17 triatletas, ou seja, a maior representação e participação 100% bem sucedida de sempre. Parabéns equipa!

Obrigado pela leitura, saúde e mexam-se pela vossa saúde!

Com o apoio de:

1 comentário:

Ronhonhó disse...

Parabéns equipa!
E parabéns a ti, Pedro! Muitos (e tu sabes que sim) já teriam desistido de muitas das actividades e esforços que tu fazes.

Beijos,
Samuel