quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A arte de contar azulejos

Centímetro após centímetro,

Azulejo após azulejo,

Metro após metro,

Piscina após piscina,

Tarefa após tarefa,

Treino após treino,

Semana após semana,

Mês após mês,

Época após época.

O treino de natação é muito exigente a nível físico e mental, e não são muitos os que fazem o percurso anterior durante muitos anos. O nadador na piscina, num vaivém constante, de parede a parede, está tal e qual como o hamster na rodinha da sua gaiola, movimenta-se sem parar, por vezes, até ficar extenuado, sem pensar no que está a fazer: guia-o o instinto?

Pode dizer-se que é saturante, um exagero, desumano ou desnecessário, mas os que persistem diariamente, evoluem como atletas, mas acima de tudo como pessoas. Podem não atingir um nível de excelência desportiva, reconhecido a nível regional, nacional ou internacional, mas as vivências dentro de um tanque aquático, na procura de algo tão simples como é, a evolução, proporciona, sobretudo aos mais resistentes e tenazes, um conjunto de aprendizagens úteis para ultrapassar os obstáculos da vida quotidiana.

O lema é: não desistir; persistir!

9 comentários:

Pedro Brandão disse...

Força companheiro. Os treinos quando levados com rigor são sempre duros, mas é assim que evoluis e melhoras ainda mais as tuas, já excelentes prestações desportivas. Força nisso.

fotografias disse...

Estou mesmo a ficar apreensivo com a tua inusitada motivação natatória... ok vemo-nos na meta e no retorno! Abç

João Correia disse...

Pedro, já agora...encontraste algum defeito no trabalho de azulejaria? Desculpa lá, mas fiquei curioso. :)))

Agora a sério: que tal uns headphones subaquáticos? Sempre dá para distrair e...ter de voltar a repetir as "piscinas" (não dá, o gajo só quer provocar-te).
Forte abraço, amigo.

Triatleta disse...

Amigos,

Não há segredo algum: a única forma de ter menos vergonha de mim próprio a nadar, e evoluir um pouco, é passar mais horas dentro de água a treinar.

Pedro, as minhas prestações, são fruto da persistência, e muito menos ou nada, de capacidades fora de série; "dão unhas, a quem não gosta de tocar guitarra"...

"Fotografias": 1º tenho que saber quem és. ;-)

João, azulejos milimetricamente alinhados :-)

Abraço e bons treinos para todos!!!

Triatlo da Maria disse...

Para me distrair dos azulejos comprei uns Speedo Aquabeat WaterProof. E os treinos ficam mais curtos ;-)

Maria

IronMena disse...

Já experimentei os headphones subaquáticos... não são muito práticos, em termos de encaixe e ajuste à fita dos óculos. E depois como é que conto as piscinas??? Distraio-me! ;-) É que não tenho nenhum aparelho de medição, tenho de contar mesmo... Se eu disser em que piscina nado, talvez faça mais sentido LOL: um "tanque" de 17 metros! Persistência aqui tem mesmo de existir em dose cavalar! :-)

Parabéns pelos resultados, motivação, blog, e capacidade de escrita!

Filomena

Nuno Rogério Santos disse...

Pois é Pedro, agora que tens um treinador a sério, com um plano de treinos a sério é que vês o que nós (eu e a minha mulher) sofremos durante 10 anos da nossa vida.
Muitas vezes bi-diário, volumes enormes (12,13 ou mais kms por dia!!!) e muitas, mas muitas centenas de horas com o cloro impregnado na nossa pele, num "sofrimento" solitário.
Tudo isto para ganhar mais uns segundos, ou mesmo uns décimos...
Mas também te posso garantir que os verdadeiros Nadadores são tudo menos desistentes na vida. A disciplina necessária para este treino duríssimo ajuda e muito a formar Homens e Mulheres, com letra grande.

Triatleta disse...

Caro Nuno,

Aprendi a nadar tarde (18 anos), e para mim, 12kms são para fazer numa semana; e fico todo contente.

Por isso, o texto que coloquei é justamente pela admiração que tenho pelos nadadores.

Por outro lado, se fosse fácil, chamar-se-ia futebol :-)

Headphones na água? Hum...talvez experimente.

Abraço para o Nuno e obrigado à Filomena pelo eologio

P.S.: um dia ainda junto esta malta todo num super-hiper-mega treino...gastronómico!

Mark Velhote disse...

Viva Pedro,

Enquanto dou as minhas braçadas por agora incosequentes, penso bastante nesta dificuldade, mas tal como dizes é sem dúvida um desporto em que é necessária grande persistencia.

Mas com este briol confesso que me andam a saber bem estes treininhos em agua aquecida.

1 abraço
Mark